No ano de 2014 tivemos muitos filmes de comédia, aventura, romance e de ficção.

Nesta lista não foi levado em conta a qualidade cinematográfica, mas escolhemos aqueles que nos divertiram e trouxeram bons momentos no cinema.

Com certeza teremos outros bem melhores se analisarmos friamente, e é por isso que desejo que fiquem à vontade para deixarem suas críticas e opiniões nos cometários.

Confira abaixo a lista das 10 melhores produções deste ano – levando-se em conta a data de estreia dos longas aqui no Brasil:

Frozen foi sem dúvida um filme que aqueceu muitos corações. O longa baseado na história da Rainha da Neve, rendeu à Disney o primeiro Oscar de Melhor Animação desde o fim da parceria com a PIXAR. Além disso, trouxe aquela quebra de clichês que o espectador precisava, sem falar na canção Let it Go, a música-chiclete também premiada com a estatueta dourada e que perseguiu crianças e adolescentes o ano inteiro – foram tantos pais, parentes e até professores reclamando desse disco que não virou que inclusive a diretora passou a pedir desculpas por isso! De qualquer forma, essa aventura congelante não é a 5ª maior bilheteria à toa: o visual carismático, a trilha sonora marcante e o roteiro simples mas grandioso fazem com que o filme de Anna e Elsa ganhe um espaço bem especial em cada um de nós.

Adaptações literárias para o cinema são sempre um desafio. Com final dividido em duas partes? Desafio dobrado. A primeira parte de “A Esperança”, da saga de sucesso “Jogos Vorazes”, foi sem dúvida um dos filmes mais esperados do ano. Todos estavam ansiosos para ver Katniss Everdeen lutar contra o sistema de Panem, e o longa não decepcionou, levando os expectadores ainda mais a fundo no drama que engloba o mundo distópico criado por Suzanne Collins. Bons efeitos, muitos destroços e atuações dignas de todo o sucesso que a série conquistou, fizeram os fãs e admiradores queimarem em suas poltronas enquanto acompanhavam as descobertas desse jogo por poder e sobrevivência.

O cinema brasileiro também teve seu valor durante esse ano! Após o sucesso como curta, a jovem e pura história de amor dos adolescentes Leonardo e Gabriel, foi levada para as telonas e tocou muita gente! O drama que ousa em abordar um romance homossexual, trouxe o drama de um menino cego em descobertas e aprendizados sobre sua sexualidade. “Hoje Eu Quero Voltar Sozinho” chegou quase a entrar na lista de finalistas para a disputa do Oscar, mas apesar de não ter conseguido, já ganhou mais de 15 prêmios mundo afora. Sucesso!

Se Robert Downney Jr. disse que a mais recente produção da MARVEL é o melhor longa da casa até agora, é bom você acreditar. Guardiões da Galáxia trouxe um ar diferente para o estúdio dos super-heróis: essa combinação de salvadores extrovertidos com a melhor playlist de rock clássico, ação por toda parte, química entre a equipe e 3D de primeira com certeza surpreendeu o público de um jeito positivo. Por enquanto, é o filme de maior bilheteria do ano nos EUA. Foi sem dúvida uma grande adição à lista de produções e já tem sua sequência agendada para 2017. Esse tipo de aventura é daquele que vai valer a pena acompanhar por muito tempo ainda. Que venha mais Guardiões!

Foi depois dessa produção que tivemos a prova: Angelina Jolie pode ser chifruda, ter as bochechas mais secas e usar as roupas mais sombrias que essa mulher ainda é um colírio pros olhos! Visual da atriz a parte, Malévola seguiu um rumo diferente do que as pessoas imaginavam. Aquilo que foi vendido pro público como remake obscuro e tenso sobre a vilã, acabou se mostrando quase que como um novo conto de fadas, nos fazendo repensar sobre o uso do termo “vilã” para a suposta fada má. Essa nova adaptação da Disney foi sucesso no que diz respeito aos incríveis efeitos especiais e claro, na grande atuação de Jolie, que soube incorporar a malvada além de dar outras faces a ela. A história d’A Bela Adormecida que todo mundo já conhecia ganhou novos moldes, quebrando clichês machistas, à la Frozen: a mesmice aqui não tem vez, e por mais que para alguns tenha faltado mais ousadia no roteiro, o mundo imenso criado para o filme foi bastante imersivo e somando à ajuda da atriz certa, Malévola se destacou e nos deu mais uma lição sobre esse sentimento curioso chamado amor.

Neste ano, para onde você olhasse, a obra de maior sucesso de John Green ocupava as mãos de algum leitor, e o sucesso não foi diferente com o filme. O longa conta o drama da garota Hazel Grace enfrentando um câncer. Após conhecer o jovem Augustus Waters, os dois formam seu pequeno infinito. Enfrentando as dificuldades de uma doença que poderia fazê-los desistirem de tudo, eles decidem então aproveitar o amor e os dias que os restam. Com uma dose clichê que não falhou em fazer os expectadores chorarem, o filme com certeza não precisará ter medo de ser esquecido.

Boyhood não traz a proposta mais ousada em questão da história. O filme apenas acompanha a vida de uma família no decorrer dos anos. A ousadia e grande diferencial aqui é como esse “decorrer dos anos” narra os fatos. Os mesmos atores são usados para gravar desde as cenas de criança até quando eles já estão crescidos, por isso essa façanha levou nada menos do que 12 anos de gravação! Nunca trouxeram algo assim para as telonas, e a experiência é muito agradável: nos faz ver o quanto mudamos fisicamente, mentalmente e o quanto nossa vida muda. Além disso, é quase como uma referência a quão rápido o tempo pode passar. Foi um resultado incrível!

Adaptação literária passou a ser rotina anual no cronograma de Hollywood, o problema é quando essa ida das páginas para a tela decepciona o público. Garota Exemplar pode não ser tão bom quanto o livro, como consideraram muitos de seus fãs, mas tratando o filme como algo independente, é um dos melhores suspenses do ano e traz a qualidade que muitos por aí já não levavam para o cinema. Ben Affleck interpreta o marido suspeito de assassinar a própria esposa, mas o que muita gente não sabe é que todo o desenrolar desse longa leva a muito mais do que só encontrar o responsável pelo crime. Calma lá, sem spoilers! A questão é que essa foi uma trama bem elaborada. Com atuações de primeira e sem deixar a narrativa previsível, a gente acompanha a jornada de casamento mais original e explorada já feita.

Mia Hall é uma talentosa musicista que se vê dividida entre seu futuro na escola Julliard e aquele que tem tudo para ser o grande amor de sua vida, Adam. Mas a sua maior decisão será se vale a pena permanecer viva, já que após um grave acidente de carro, a jovem perde a família e fica à beira da morte. É então que o filme te leva a acompanhar Mia em coma, refletindo sobre seu passado e seu futuro, e tendo que decidir como seguirá em frente se ela ficar. Se você é fã dos romances de Nicholas Sparks, o drama de Gayle Forman irá te conformar. Quanto a Chloë Moretz, a atriz dispensa comentários.

Distopia é a nova onda de adaptações, mas é um grande desafio emplacar um sucesso em meio a tantos nomes. Maze Runner fez por merecer. O filme conta a história do jovem Thomas, deixado em uma clareira cheia de garotos após toda sua memória ter sido apagada, seria monótono se todo o lugar não fosse cercado por um gigante e perigoso labirinto, é aí então que Thomas decidirá, diferente dos outros, descobrir de qualquer forma o objetivo de tudo aquilo. O longa que obteve um grande desempenho nas telona com seus efeitos especiais memoráveis, promete agradar ainda mais em suas sequências.