O ano de 2015 marca o regresso aos cinemas de séries de ficção científica históricas, como “Star Wars”, “Mad Max”, “O Exterminador do Futuro” e “Jurassic World”. Mas há mais, há muito mais.

A nova superprodução de ficção científica (FC) dos irmãos Andy e Lana (Larry, antes da operação de mudança de sexo) Wachowski, “O Destino de Júpiter”, entra para a história do cinema do gênero como sendo o pior filme já feito tendo a palavra “Júpiter” no título, uma personagem principal chamada Júpiter e uma porção de ação em Júpiter.

A ideia dos Wachowski é criar uma nova série de filmes que repita o sucesso da trilogia “Matrix”. Só que este monstro caríssimo (175 milhões de dólares de orçamento oficial), tecnicamente sofisticadíssimo (a estreia foi adiada mais de meio ano para que milhares de efeitos especiais pudessem ser integrados na ação), interpretada por Channing Tatum e Mila Kunis, não passa de uma “space opera” crivada de lugares-comuns e personagens-tipo, colecionando sequências de ação agressoras dos olhos e dos ouvidos, sem apresentar uma única ideia original ou um relâmpago de inteligência e com a aparência de um descomunal e repetitivo  jogo de vídeo.

“O Destino de Júpiter” é o primeiro de vários de filmes de FC deste ano de 2015, ano que assistirá ao regresso de um punhado de históricas séries do gênero, caso de “Guerra das Estrelas” ou “Mad Max”, bem como a estreia de outros títulos menos vistosos e falados, mas não menos dignos de atenção. Eis o que nos espera em termos de FC até Dezembro.

1. “Star Wars Episode VII – The Force Awakens” (J.J. Abrams)

Com a Lucasfilm vendida à Walt Disney, esta não perdeu tempo em reativar a saga criada por George Lucas em 1977, com uma nova trilogia, a terceira. Depois de ter injectado sangue novo na série “Caminho das Estrelas”, J.J. Abrams assume a realização do sétimo filme de “Guerra das Estrelas”, assinando também o argumento com Lawrence Kasdan. A ação de “The Force Awakens” passa-se 30 anos após “O Regresso de Jedi”, 50 após “A Vingança dos Sith” e 68 depois de “A Ameaça Fantasma”. Há muitas caras novas no elenco e Mark Hamill, Harrison Ford e Carrie Fisher regressam, mais velhos, mas cheios de Força. (Estreia 17 de Dezembro).

2. “Mad Max: Fury Road” (George Miller)

Que saudades nós já tínhamos de Max Rockatansky. Vimo-lo desaparecer no horizonte da Austrália pós-apocalipse há exatamente 30 anos, no final de “Mad Max: Além da Cúpula do Trovão” (1985). Trinta anos depois, ei-lo de volta, agora já não interpretado por Mel Gibson mas sim pelo inglês Tom Hardy (“Batman – O Cavaleiro das Trevas Ressurge”, “Locke”). George Miller esteve quase, quase a fazer esta parte IV com Gibson em 2001, mas os ataques do 11 de Setembro estragaram tudo. Em “Fury Road”, rodado na Namíbia e não na Austrália, Max junta-se a Furiosa (Charlize Theron) e ao seu grupo, para atravessar o deserto e enfrentar um bando de vilões devidamente pós-apocalípticos. (Estreia 21 de Maio).

3. “O Exterminador do Futuro: Gênesis” (Alan Taylor)

Os outros prometem, ele cumpre, mesmo apesar de já ter passado pela política. Depois de ter desempenhado, na Califórnia, o papel do Governador, Arnold Schwarzenegger regressa ao do Exterminador em “O Exterminador do Futuro: Gênesis”,mesmo na altura em que está a precisar de um filme que faça um brilharete nas bilheteiras, tendo em conta os débeis números e as más críticas do que interpretou depois de ter deixado a vida pública. A história deste novo “Exterminador” passa-se em 1984, mas numa linha temporal diferente da do primeiro filme da série, de James Cameron, e onde Sarah Connor é criada e protegida pelo T-800 de Schwarzenegger. (Estreia 2 de Julho).

4. “Jurassic World – O Mundo dos Dinossauros” (Colin Trevorrow)

Estão muito enganados se julgavam que o “Jurassic World – O Mundo dos Dinossauros” tinha fechado as portas de vez depois de três filmes. O parque dos dinossauros regressa ao mercado em “Jurassic World – O Mundo dos Dinossauros”, 22 anos depois dos acontecimentos do filme original de Steven Spielberg (1993). Só que o negócio está a vender poucos bilhetes e a nova atração introduzida no parque pela companhia que o explora (gananciosa e incompetente, claro) acaba por redundar num monstruoso e sangrento tiro pela culatra. Chris Platt, Bryce Dallas Howard e Vincent D’Onofrio lideram um elenco onde já não resta nenhum ator dos três filmes anteriores. (Estreia em 11 de Junho).

5. “Tomorrowland – Um Lugar Onde Nada é Impossível” (Brad Bird)

Brad Bird, o realizador de animações de longa metragem da Disney como “Os Super-Heróis” e “Ratatui”, assina este filme que os estúdios do Mickey têm rodeado de secretismo e é interpretado por George Clooney, Hugh Laurie e pela jovem Britt Robertson.  Clooney faz o papel de um inventor que descobre a existência de um país utópico e futurista chamado Tomorrowland, que a humanidade tem remotamente registrado na sua memória coletiva. Os habitantes de Tomorrowland possuem poderes mentais únicos, que lhes permitem ser quem quiserem e fazer o que quiserem, incluindo tudo aquilo que for necessário para sobreviverem. (Estreia em 21 de Maio).

6. “Ex Machina” (Alex Garland)

A estreia na realização do escritor e argumentista inglês Alex Garland (“A Praia”, “28 Dias Depois”) é uma história de inteligência artificial. Um jovem programador (Oscar Isaac) é selecionado para participar num projeto experimental dirigido pelo genial fundador e proprietário da companhia onde trabalha (Domhnall Gleeson) na sua casa/laboratório “high tech”, cuja intenção é criar uma androide que se confunda em tudo com uma mulher de carne e osso, batizada Ava  (Alicia Vikander). “Ex Machina” teve já o raro privilégio de ter sido elogiado nas páginas da prestigiada revista “New Scientist”. (Sem estreia definida – Em breve).

7. “Chappie” (Neill Blomkamp)

O novo filme do sul-africano que realizou “Distrito 9” e “Elysium” centra-se num robô-polícia experimental identificado como CHAPPIE. É o projeto pessoal de um cientista que o quer capaz de fazer mais coisas do que defender a lei e manter a ordem. Mas há alguém que está interessado em usar o robô para fins criminosos e não para o bem da sociedade. Baseado numa curta-metragem de FC rodada por Blomkamp em 2004 e intitulada “Tetra Vaal”, “Chappie” conta com Sharlto Copley, o ator favorito do realizador, no papel do robô, e ainda com Hugh Jackman, Sigourney Weaver e Dev Patel. (Estreia em 16 de abril).